top of page

Os animais são movidos a emoção. Conheça as principais que embasam seu comportamento.


Ao invés de se questionar, "o que será que ele está pensando", comece a pensar em termos de "o que será que ele está sentindo?"

Tanto os animais como as pessoas têm os mesmos centros de emoções básicas no cérebro. O Dr. Jaak Panksepp, neurocientista autor do livro Affective Neuroscience e um dos mais importantes pesquisadores da área, chama os centros emocionais de "emoções fundamentais" porque geram sequências bem organizadas de comportamentos que podem ser evocadas por meio de estimulação elétrica cerebral localizada.

As pessoas e os animais nascem com essas emoções - não são aprendidas nem com as mães nem com o ambiente, e os neurocientistas conhecem bastante bem o que elas produzem no cérebro.


Os 4 sistemas de emoções fundamentais são:


BUSCA: é o impulso básico para procurar, investigar e dar sentido ao ambiente.

RAIVA: acredita-se que esta emoção evoluiu da experiência de ser capturado e imobilizado por um predador. A raiva dá ao animal capturado a energia explosiva necessária para lutar violentamente e talvez causar um impacto suficiente para que o predador afrouxe o aperto, dando ao capturado a chance de escapar. A raiva está por trás da agressividade.

MEDO: o medo dispensa maiores explicações. Animais e humanos sentem medo quando sua sobrevivência está ameaçada de qualquer forma, desde o nível físico até o mental. O medo está por trás das fobias nos animais, como medo de fogos, trovão, vassoura etc.

PÂNICO: é a palavra usada para o sistema de vínculo social. Todos os bebês, humanos e animais, choram quando a mãe sai e um bebê isolado, cuja mãe não volta, tem probabilidade de deprimir e morrer. O pânico está por trás da ansiedade de separação.

Existem também 3 outros sistemas de emoções positivas que os pesquisadores não conhecem muito bem, e que não permanecem necessariamente durante toda a vida do animal:

LUXÚRIA: significa sexo e desejo sexual; comportamentos de acasalamento e às vezes de dominância e territorialidade.

CUIDADOS: amor e cuidados maternos; o que está por trás da pseudociese e adoção de outros filhotes ou até brinquedos.

BRINCAR: até hoje ninguém entende muito bem a natureza do brincar, embora todos saibam que o brincar é um sinal de bem estar, porque o animal deprimido, amedrontado ou irritado não brinca.


Para criar um bem estar mental aplicável a qualquer animal, em qualquer situação, as melhores orientações que temos são os sistemas cerebrais de emoções básicas. A regra é simples: não estimular RAIVA, MEDO e PÂNICO, se puder evitar, e sim BUSCA e BRINCAR.

Estas emoções são reconhecidas pela comunidade científica, as emoções básicas. As demais, que acredita-se que sejam sempre derivadas destas, são consideradas emoções complexas.


Proporcionar um ambiente que mantenha o animal ocupado. Os principais distúrbios comportamentais, são na verdade, desvios e desequilíbrios do sistema emocional e devem ser observados e avaliados com amor e compaixão, para que não pioremos ainda mais o estado interno do animal.



53 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page